quarta-feira, 20 de junho de 2012

Desinformações



Informações ou desinformações.

Um dia desses lendo uma frase do pensador, fiquei a refletir sobre a citação assim expressa: “Com a evolução dos meios de comunicação as desinformações chegam mais rápidas Elanklever
Fiquei a pensar, porque antes de eu começar a escrever, sempre ficava em alerta; alguém está mais informado ante a mim diante deste assunto, minha opinião sobre este tema pode não estar embasada nos últimos entendimentos sobre tal fato, pesquisadores isto, pesquisadores aquilo, lendo o livro “creative thinks”, o autor expressou: Mais ou menos assim “Leia revistas antigas, tem artigos que ninguém sabe, já esqueceram”
NINGUÉM SABE TUDO
Vamos chegando a um patamar de existência em que podemos descobrir que ninguém sabe tudo e nem alguém sabe tudo. Como disse o pensador: “Quem não tem dúvidas anda mal informado” Millôr. As informações giram, viajam, atingem mentes alertas e mentes tranqüilas, mentes que gostam e que desgostam, mentes que contenham boa memória e mentes que não querem memorizarem nada, mente rotinada e mente desrotinada, enfim, tem tanto tipo de mente, que até mesmo para algumas, desperdiçar existência é o lema. É muito sensato aquele que se preocupa em escrever algo ao qual venha a acrescentar, ser útil, informar, reformar, atingir uma mente reflexiva, avaliativa, analítica e de bom senso, porque muitos detêm a crítica, o senso é mais difícil de adquirir ante a capacidade crítica.”critica é para qualquer um, bom senso não” Elanklever
INFORMAÇÃO E DESINFORMAÇÃO
O que seria informação e desinformação? Ou mesmo deformação? Por onde devemos começar a fundamentação, a baseificação do sentido da formação e deformação. Como podemos usinar essas informações? Quais são, serão úteis e que valem a pena, ou quais são apenas “sucatas mentais”. Não iremos incluir aqui ideias ou fatos que fazem parte do descanso mental, do relax. Quais são as que realmente funcionam, quais são as informações terápicas, e ou evolitivas? evoluitivas
Porém voltando ao principio do tema oferecido, penso que todos possam escrever, suas histórias são únicas, suas experiências, seus detalhes de vida, suas imaginações, porque não aquela frase de outro escritor, mas que você pode reescrevê-la, e dar sentido próprio, fazer pesquisas juntar autores e ideias “ideias não tem cor, raça, ciência não tem raça, esperança, amor enfim, muita coisa pode ser escrita”. Como cita o pensador:
“Mesmo que ninguém venha ler, aprecio ler o que penso” Elanklever, para a si ler, tem que escrever.
DIRECIONAMENTO
Com as informações que chegam, sejam técnicas, conceituais, vai se criando uma visão mais crítica, avaliativa, analítica e naturalmente direcionando as atividades do dia a dia.
Questões profissionais, pessoais, sociais, financeiras, saúde, direito, psicologia, matemática, meio ambiente, receitas. Nem todo conhecimento é útil, principalmente para aquele não irá utiliza-lo, bem, quem tem certeza que um dia não precisará de algum conhecimento? Informações tornam-se conhecimento, desinformações são apenas consumíveis, ou descartadas, esse é o papel da autocrítica, sempre com avaliativo senso em primeiro lugar, mas não seja muito rigoroso(a).
SURPRESAS
Quem mais sabe, apenas pode escrever algo útil a quem busca ampliar seus conhecimentos, quem assim não quer, simplesmente descarta. Muitos perguntam pelo desejo em aprender algo, outros apenas pela reação do inquirido, assim se comportarão. Alguns querem aprender outros surpreenderem. De surpresas em surpresas muitos são surpreendidos, surpreenda! “Infelizmente muita gente não se preocupa com o conteúdo, mas de onde vem, famoso ou não, mande” Elanklever
Elvio Antunes de Arruda - 2012

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Escreviterapia


ESCREVITERAPIA, LEITURATERAPIA .

TERAPIA
Sempre ao ler diversos artigos sobre medicina, saúde, doenças, logo aparecem os sufixos “iase e ose”, ambos utilizados para designar doenças, estado mórbido, são oriundos do grego, ganhou com o tempo acepções diversas. Psicose, tuberculose, osteoporose e outros oses.  Mas prefiro mesmo, Terapia: Therapeia ou therapeiae do Grego = tratamento cujo termo, tem o significado de tratamento ou cuidado com a saúde – fisioterapia, psicoterapia, radioterapia etc. Logo pensei, gosto de ler e escrever, como viveria eu sem estas atividades? Assim como pessoas que não vivem sem a televisão, sem rádio, sem  celular, sem carro, e muitas outras coisas mais. Logo penso: tvterapia, dinheiroterapia, celularterapia, fototerapia, igrejoterapia, futebolterapia. Antes da terapia é melhor ter atividade criativa. Chega a um momento até que chegamos a pensar. Será que estou com alguma “ose?”. Overdose de trabalho !

PESQUISAS
A palavra “terapia” tem caído como luvas na vida de quem quer atividades em busca de mais saúde, física, mental ou emocional, e mesmo dos fundamentos existenciais. Não se precisa utilizar a palavra  como acima citado,  porém vemos que a mesma caiu no gosto popular, do técnico na medicina, tornou-se mais extensa no popular, permitindo inúmeras formas de abordagens.

Sendo  a palavra “terapia” indicação de uma atividade de recuperação, sempre diante do trabalho de um profissional especializado em determinada área. Hoje, porém mais que recuperação, é aproveitamento da atividade em alguma área. Como já citado acima define tratamento, reabilitação, através de uma “arte” ou atitude positiva diante de alguma necessidade existencial.

Outro dia lendo um artigo de pesquisas internacionais sobre este assunto, atentei mais precisamente a Israel, e com certeza muitos pesquisadores de diversos países buscam elementos para fundamentarem suas verificações sobre o benefício da escrita, ou do ato de escrever. Não somente no desenvolvimento educacional, lingüístico, mas também na função de estruturação da personalidade, comunicabilidade, fobias, timidez,  dinamização das funções vitais, logo pensei “escriviterapia”.

JANELAS LIGHT
Chegamos a um tempo em que começamos a avaliar perdas, as janelas “light” como diz o Dr. Augusto Cury, parecem ir se fechando “logo pensei nos tais neurônios”, esquecemos que muitas janelas podem ser abertas. Para muitos, isto começa muito cedo, teremos que  encarar a realidade com coragem e função criativa, ativa, positiva e reflexiva, renovando valores, recriando e distribuindo-os.

Muitas vezes a ponte caída está ao lado de dentro. Claro que “escreviterapia é uma forma mais extensa”, porque não é apenas um estudo, é uma função individual, ex: ler por ler, a escrita é algo que estará beneficiando, ou influenciando a outros, passando informações, conhecimentos, costumes, cultura, memórias e imaginações, embora quanto mais se leia, melhor se redige. Não escrevemos apenas por escrever, assim fazemos  para que alguém venha ler, não é apenas uma isolada atividade, é uma forma de expressão. Não janelas de fuga, mas de luz.

AUTOAJUDA
Sempre vejo referências a livros de autoajuda. Todos os livros são de autoajuda, para quem escreve e para quem os lê. Quem os escreve faz terapia da escrita, satisfação e retorno financeiro, e aqueles que lêem podem receber, ajuda de diversos ângulos do conhecimento, desde a escrita à matemática, do lúdico a neurociências, toda informação escrita é fonte de conhecimentos conceituais e técnicos, que naturalmente auxiliam quem queira extrair algum dado interessante, sendo este autodidata ou em sala de aula.

INTERNET
Com a maior facilidade de comunicação via mídias, hoje se  pode escrever, cantar, dar aulas, tocar algum instrumento, fazer uma palestra, artes em geral e postá-los - via internet - para visitação publica. Não só estará fazendo uma terapia, como estará também transmitindo a outros seu potencial, sua boa vontade e ainda incentivando  atividade, desrotinando a vida. “Lembrando aqui a citação do pensador”. “Escrevo, aprecio reler ao que penso - Elanklever”. Ou fazendo alguma outra coisa, a satisfação provém  de apreciar aquilo que fazemos. Naturalmente, se o mesmo gosta de escrever, logo tem se que será útil a outros, imagine a satisfação quando se escreve e reler o que se pensa. Tenho visto aulas, de música, matemática, português, informática, e muitas outras, via Youtube. Que bom, se não gostar daquilo que postou, poderá trocar por uma nova edição, o valor aplicado será o tempo e a boa vontade. Vamos fazer um curso de ESCREVITERAPIA! “Deixe a “ose”, associe-se a terapia.

06.2012 - Elan Tunes

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Corrupção no poder




Sobre a Corrupção!

CORRUPÇÃO ATIVA

Interessante: Pessoas envolvidas em falcatruas tem o direito de calar-se, para  se protegerem, isto é direito. Agora o cidadão tem obrigação de votar, pagar seus impostos e ficar desprotegido por ação de corruptos. O poder sustenta a justiça, mas quando pendem para o lado de corruptos, tais fazem da justiça apenas uma ferramenta a mais para seus intentos. Quão forte é a capacidade da corrupção diante de nossas leis, transfere a obrigação para a “Justiça”.

A justiça toma o papel passivo, em saber que se obriga apenas fazer perguntas nulas e indignas de respostas. Veja quanto a corrupção é forte, tem seus direitos fundamentados, enquanto trabalhadores e eleitores cheios de obrigações, ficam apenas expostos a tais figurões, e nós com cara de gratos palhaços, direitos são iguais, obrigações não. Cadê a lei anticorrupção?

Para arquitetar e liberar os instintos corruptos não de pode calar, agora para protegerem a dama da corrupção tem que se cuidar para não se exporem. E ainda completamente dentro da lei. Aproveitam falhas da lei para praticarem suas patifarias, e depois das valias da lei para protegerem-se que maravilha! Nossa lei é perfeita! Ou, bem programada.

“Corruptos buscam o ilegal para nos prejudicar, depois a lei para defenderem-se, em ambos os casos, são o que são” Elanklever.